Etnografia no Virtual

um olhar antropológico na WEB

Fontes tomistas

Tomismo pode significar: (1) todo o pensamento sistemático ou não de São Tomás de Aquino, sua filosofia e sua teologia; (2) o pensamento que segue integral ou parcialmente os ensinamentos de São Tomás de Aquino, em filosofia e teologia e (3) o pensamento dos que expõe, defendem e disputam as teses da filosofia e teologia de São Tomás de Aquino. Estes são conhecidos como Tomistas, pessoas que compõem principalmente, mas não exclusivamente, a Ordem de São Domingos. Muitos Tomistas não foram dominicanos e sequer religiosos. Mas em sua maioria foram religiosos e especialmente dominicanos.Historicamente o nome Tomismo passaria a designar não só o sistema filosófico-teológico de São Tomás de Aquino mas, também, o pensamento de Tomás interpretado e defendido por seus seguidores, formando assim a denominada Escola Tomista. O texto acima é de uma fonte maravilhosa, aqui. INDEX THOMISTICUS. Nesta URL, Thomistica. O INSTITUTO UNIVERSITARIO VIRTUAL SANTO TOMÁS tem uma página maravilhosa, aqui. Outro site que vale apena, DOCTOR ANGELICUS, nesta URL.
The Aquinas Translation Project, tem grande material, veja aqui. Aspectos filosóficos? Veja o Thomistic Philosophy Page, nesta URL. Outro portal, muito completo. Síntesis Doctrinal, um site incrível. Scholasticism, nesta URL. St. Thomas Aquinas and Medieval Philosophy, aqui. Suma teológica em português.

Old Norse, fontes

Gramática, aqui. Old Norse Online. Na wiki. Textos em Old Norse. Dicionário English-Old Norse.

Old Norse Names. Old Norse language.
na figura ao lado, O Rök Runestone em Östergötland, Sweden. Considerado a fonte a mais antiga em Old Norse. É inscrito em ambos os lados.

blogs…

Fontes de pesquisa medieval

Um site acerca de Agostinho. Um site a respeito das Famílias nobres catalãs, medievais: the Montcadas. Um portal sobre a História de Portugal e Espanha. The Internet Modern History Sourcebook, grandes links. Um Portal de Historia Medieval. Internet Jewish History Sourcebook.

Um mapa!

Se o MySpace fosse um país, de que tamanho ele seria? Onde ficam as Ilhas IRC? Não sabe? Pois então vale a pena visitar o blog de charges diárias que tem o impronunciável nome de xkcd.com.
veja mais aqui.

A Estrutura da Internet deve ser neutra

O que deve e o que não deve constar na eleição de palavras, idéias e expressões que podem ser registrados como nomes de domínio? Uma expressão proibida em certa cultura pode não ter o mesmo significado em outra. E quem determina o que e o que não pode ser registrado como nome de domínio? Especialmente quando estamos falando de nomes de domínio internacionais, que não estão ligados à infra-estrutura tecnológica e cultural de um certo país, essa escolha pode ser de crucial importância. Para alertar a comunidade em geral sobre os riscos trazidos por decisões arbitrárias na escolha das palavras e expressões que não podem ser registrados como nomes de domínio, foi lançada a coalizão “Keep the Core Neutral”.

A coalizão, iniciada pela organização norte-americana IP Justice, e apoiada pelo Centro de Tecnologia e Sociedade (CTS), da Escola de Direito da Fundação Getúlio Vargas/RJ, preparou uma petição sobre o assunto. A petição original, em inglês, pode ser lida, e posteriormente assinada, aqui. http://www.keep-the-core-neutral.org/petition/ Um tradução da petição para o português foi preparada pelo CTS. O inteiro teor da tradução você pode ler abaixo. Petição Global para os Membros da Diretoria da ICANN: “A Estrutura da Rede deve ser neutra”

Todos têm o direito de pesquisar, receber e transmitir informações e idéias sem interferência por qualquer meio, inclusive no ciberespaço. Com o surgimento dos novos domínios genéricos de primeiro nível e escolhas sobre como idéias podem ser expressas através dos mesmos são tomadas, nós requeremos à ICANN que mantenha a estrutura da rede neutra, livre das disputas não técnicas, e que sejam adotadas políticas que respeitem a liberdade de expressão e permitam a inovação no processo de criação de novos nomes de domínio. Encorajar a livre circulação da informação é um princípio basilar nas decisões de política pública relacionadas à informação e à tecnologia da comunicação. O direito à liberdade de expressão, fundamental numa Sociedade da Informação, estimula a participação democrática, amplia as possibilidades individuais e proporciona o desenvolvimento econômico.

O ciberespaço é um ambiente único e especial que concilia antigas divisões, no qual diversas comunidades interagem, e todas as visões são bem-vindas. Mas esse cenário apenas permanecerá se esses atributos forem levados em conta por quem determina as políticas públicas sobre a Governança da Internet e os incorpore nas políticas sobre como idéias podem ser expressas através de nomes de domínio. Nós requeremos que a ICANN atenha-se ao seu mandato técnico e se abstenha de embutir determinados padrões nacionais, regionais, morais ou religiosos nas regras globais sobre o uso de linguagens em nomes de domínio. Seria uma missão perigosa para a ICANN decidir entre políticas conflituosas e determinar padrões globais de expressão que são reforçadas através da sua atuação técnica. Por favor não deixem que a ICANN se torne uma ferramenta conveniente para a obtenção de um controle global por aqueles que almejam censurar expressões controversas ou não populares na Internet.

Requeremos que a ICANN resista a qualquer tentativa de restringir quais idéias podem ser expressas em qualquer nível de hierarquia da Internet. A estrutura técnica da Internet deve ser neutra e livre de quaisquer conflitos nacionais ou ideológicos, possibilitando que a liberdade e a inovação floresçam no ciberespaço. Assinado, Indíviduos ou grupos podem assinar no site da campanha. http://www.keep-the-core-neutral.org/petition

A petição foi publicada originalmente no Cultura livre.
http://www.culturalivre.org.br/index.php?option=com_content&task=view&id=175&Itemid=40/

Tradução realizada pelo Centro de Tecnologia e Sociedade Centro de Tecnologia e Sociedade – CTS – da Fundação Getúlio Vargas – Direito Rio.


recebi por e-mail da Rita Amaral

Timeline Internet